sexta-feira, janeiro 08, 2010

Esta ânsia que és tu ...



É esta a ânsia que cedo ou tarde, não se desfaz...
Não se transforma, não se verga...
Não me deixa em paz.
É esta a ânsia que vive dentro de mim ...
Que ri, que chora, como se sentimentos tivesse ...
E que quando entardece, adormece assim.
Aninhada no meu peito, como se um refúgio fosse,
E mais cedo ou mais tarde vai acordar novamente...
E vai-te querer aqui...
É esta a ânsia que me consome, e que eu ando como louca,
Para arrancar de dentro de mim!!!

Ana Cardoso

4 comentários:

Sonhadora disse...

Lindo poema.
Adorei.

beijinhos

Sonhadora

Sonhadora disse...

Lindissímo poema.

É esta a ânsia que me consome, e que eu ando como louca,
Para arrancar de dentro de mim!!!

adorei.

Beijos

Sonhadora

Anónimo disse...

Ó minha porquitcha, e se desses uma valenta trancada,hiem? Essas ansias iam-se logo embora...ou então come um bolo e um gelado loooooooooooooooooool ...

Bj gaja gira e boua :)

Paty

armalu disse...

lindo poema muita força e muita luz em sua vida,bj

Um pouco de mim ....