terça-feira, setembro 26, 2006

Um doce olhar...


Deita sobre mim,
Esse teu doce olhar...
Faz-me balançar...
Tal qual barco,
á deriva no mar...
Toca-me no coração...
E sente-me estremecer,
Acalma-me...
Deixa-me serena...
Porque sei que ao fechar os olhos
Sou tua,
Onde o horizonte começa e,
o mar não tem fim...
Faremos então a dança do mar...
Balança aqui, balança ali...
Eu em ti, Tu em mim....

Ana Cardoso

Sozinho...

Às vezes, no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado, juntando o antes, o agora e o depois
por que você me deixa tão solto?
por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho!
Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
só abro pra você mais ninguém
por que você me esquece e some?
e se eu me interessar por alguém?
e se ela, de repente, me ganha?
Quando a gente gosta é claro que a gente cuida
fala que me ama só que é da boca pra fora
ou você me engana ou não está madura
onde está você agora?
Quando a gente gosta é claro que a gente cuida
fala que me ama só que é da boca pra fora
ou você me engana ou não está madura
onde está você agora?

Caetano Veloso

sexta-feira, setembro 22, 2006

Silêncio ...


Silêncio...
Silêncio que hoje o meu coração chora...
Escutem os uivos que veêm do fundo de mim... em silêncio!
Escutem as lágrimas que choro... em silêncio!
Sentindo que o Mundo vai desabar...
Que o céu cairá inteirinho sobre a minha cabeça...
Que tudo o que fiz foi em vão...
E que o coração... esse desvaiu em tristeza!
Escutem em silêncio, os gritos que minha boca grita...
As palavras que em silêncio são choradas...
Bati e cheguei ao fundo... É tempo de recomeçar...
Porque em silêncio...
Sem ninguém saber... também se pode chorar!!

Ana Cardoso

quarta-feira, setembro 20, 2006

Meus Secretos Amigos ...

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objecto dela se divida em outros afetos; enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!
Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...
A alguns deles nã0 procuro, basta-me saber que eles existem...
Esta mera condição me encoraja, a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar! Muitos deles estão lendo esta crónica e não sabem que estão incluídos na minha sagrada relação de amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora nao declare e não os procure. E ás vezes, quando os procuro, noto que eles não têm noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.
Se todos eles morrerem, eu desabo!!
Por isso é que sem que eles saibam, rezo pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar.
Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer... Se alguma coisa me consome e me envelhece e que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus verdadeiros amigos!

" A gente não faz amigos, reconhece-os."

Garth Henrichs

- Extraído do site " Prosa e Poesia"

Esta prosa foi-me enviada por e-mail pela querida amiga Carminho (Xanuca), e eu gostei tanto, tanto, que resolvi partilhar com os meus leitores a felicidade que senti ao ler este texto... Carminho , tu também ocupas um cantinho especial no meu coração, gosto muito mesmo de ti, trolinha ********
Aproveito, para dedicar este texto, também a todos os meus verdadeiros amigos, que graças a Deus são muitos, e a todos que nutrem por mim um carinho especial e que me lêem ... obrigada a todos por existirem e por fazerem de cada dia meu, um dia diferente e especial...
Ana Cardoso

quarta-feira, setembro 13, 2006

quarta-feira, setembro 06, 2006

Horizonte...


Olha a janela que se abre em tua direcção... corre, apanha-a aberta e comtempla o horizonte... cada traço desenhado no céu, parece ter uma história que contar!
Cada nuvem, cada cor... são traços da vida que corre e teima em passar... são as palmas das mãos de pessoas vividas, que nos mostram o caminho a seguir... são palestras mal ouvidas, que teimam em se fazer ouvir... o horizonte longínquo, aquele que nos faz sonhar... passa-nos ao lado, sem o vermos passar... anda corre, e traça no céu do nosso horizonte, traços da vida que nos faz feliz... deixa marcas do nosso Mundo, do nosso Mundo aprendiz... traça no céu o amor que nos uniu, o carinho e a amizade... traça-o no céu, que o horizonte traça o resto ... até á felicidade... e se um dia olhares para trás, e achares que nada valeu a pena... olha no horizonte e vê os traços de cada vida... incluíndo os teus, que ficaram marcados no Mundo de alguém, no coração de alguém... alguém que fizeste feliz... só por isso valeu a pena!!

Ana Cardoso

sábado, setembro 02, 2006

Perfume ...


Que perfume é esse...
Que emana a tua pele...
Que me entontece, me embriaga...
Me enlouquece...
Que perfume é esse...
Que me faz levitar, meditar...
E te amar...
Que desejo, que vontade...
Da tua pele respirar...
É a essência do teu corpo,
Que me faz viver...
Da tua pele...
Quero sempre beber...
E dos teus olhos me lembrar!!

Ana Cardoso

Neste Mundo só teu...


Vem, deixa que as tuas mãos deslizem neste mapa do Mundo em que tu queres viajar... desenha-lhe os caminhos, com teus dedos de seda... como só tu sabes fazer... desenha-lhe as ruas, os mares, as areias e os céus em que queres voar.... traça-lhe as linhas, as curvas e as voltas que queres dar... traça-lhe os lugares, cada sitio, cada sombra, cada toque...
Deixa que este Mundo te leve e deixa-te levar... sê feliz, neste Mundo só teu...

Ana Cardoso

Um pouco de mim ....